ODS

Módulo extra:
contracepção Antes de retomar a atividade sexual após o parto (e isto pode ser em poucos dias!), decida, ainda durante a gestação, por um método contraceptivo que lhe permita amamentar sem problemas e planejar uma próxima gravidez com um intervalo de, no mínimo, 02 anos.

Sobre conhecer o corpo, prazer, orgasmo, etc…

– vídeo de 3 min, legendado, sobre o único órgão de prazer no corpo humano: o clitóris.

Saiba mais em: https://claudia.abril.com.br/saude/clitoris-curiosidades-orgao-prazer-feminino/

ou em https://www.facebook.com/meucltrs/ 

Esqueceu da pílula? Não usou camisinha? Contracepção de emergência!

Tempo ruge!!!
como funciona
Uma alternativa

O que é Contracepção de Emergência ou Pílula do Dia Seguinte?

É um método contraceptivo PARA SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA que pode ser usado até 5 dias depois que a relação sexual já aconteceu e houve risco de gravidez.

Quanto mais rápido é o uso maior a eficácia. Veja o gráfico acima

Recomendada para:

– casos de estupro (sexo não consentido, sexo sem proteção, etc),

– problemas com o método de uso regular (falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do Diafragma), e

– relação eventual sem proteção.

É feita a base de doses fortes de hormônios (levonorgestrel) que impedem a ovulação e a mobilidade dos espermatozóides no útero, impedindo a fecundação e, consequentemente, a gravidez.

Ela pode ser usada na forma de dose pronta (com eficácia média melhor, contra a gravidez de 99,9%). Custo menor que US$ 2.

<span style="font-family:

ou através de doses combinadas (método YUSPE) a partir da cartela de pílulas anticoncepcionais orais (com eficácia média contra a gravidez de 96,8%).

 

Importante:

  • Não é um método para ser usado com freqüência, só em situações de emergência, pois usado regularmente ou com repetição pode desregular o ciclo menstrual e faciliar uma gravidez. Quando tomado regularmente tende a falhar mais que os outros contraceptivos de uso regular.

  • Deve ser utilizado quando houve falha da camisinha feminina ou masculina, relação com o diafragma deslocado, relação sem uso de qualquer método contraceptivo ou em caso de estupro.

  • Quanto mais cedo for tomada maior sua eficácia contra a gravidez.

  • O efeito após 5 dias é mínimo, seu maior efeito é nas primeiras 72 hs depois da relação sexual.

  • Não funciona para as relações sexuais mantidas depois que for tomada (só protege das anteriores). Ou seja: use camisinha masculina ou feminina, ou diafragma.

  • A contracepção de emergência não é abortiva, por isso ela não causa sangramentos.

 

Como utilizar a Contracepção de Emergência?

  • Tomar até 5 dias (120 horas) no máximo após a relação sexual, após esse período, ela pouco funciona.

  • Se ainda não tiver passado os 4 dias, de preferência deve ser usada a dose pronta, de 1 ou a de 2 comprimidos, que é distribuída gratuitamente em postos de saúde de algumas cidades brasileiras ou vendida em farmácias (menos de 2 dólares!).

NA DOSE PRONTA: disponível em alguns postos de saúde ou farmácias

1 comprimido a base de levonorgestrel com os nomes comerciais:

– Dopo (Eurofarma)

– Postinor Uno (Laboratório Aché)

– Pozato Uni (Laboratório Libbs)

 

Tomar o(s) comprimido(s), conforme bula, logo que for possível após a relação sexual. Quanto mais cedo for ingerido maior eficácia tem contra a gravidez.

OU 2 comprimidos a base de levonorgestrel com os nomes comerciais:

– Postinor 2 (Laboratório Aché)
– Pilem (Laboratório União Química)
– Pozato (Laboratório Libbs)
– Nogravide (Laboratório Hebron)

Minipil2-Post  (Laboratório Sigma Pharma)
– Diad (Laboratório Simed)
– Poslov (Laboratório Cifarma)

– Prevyol (Laboratório Legrand/Sigma Pharma)

O primeiro comprimido deve ser tomado o quanto antes, logo que for possível, pois quanto mais cedo for ingerido maior eficácia tem contra a gravidez. O segundo pode ser tomado junto com o primeiro ou após 12 hs após o primeiro.

TOMAR

OS 2 COMPRIMIDOS JUNTOS TEM

O MESMO EFEITO!

(veja recomendação da

Organização Mundial de Saúde: http://www.who.int/reproductive-health/family_planning/es/ec_factsheet_es.pd)

 

Caso não consiga adquirir a dose pronta veja como elaborar a dose combinada, (método Yuzpe)

  • Caso haja vômitos até duas horas após sua ingestão, é preciso repetir o uso da dose. Se o vômito se repetir a pílula pode ser colocada dentro da vagina para absorção direta.

  • É aconselhável tomar os comprimidos sempre junto com a ingestão de leite e/ou alimentos para evitar náuseas, enjôos, vômitos ou dor de cabeça.

  • Não costuma haver sangramentos com o uso da contracepção de emergência, porque ela não é abortiva, é preciso esperar a menstruação vir normalmente (pode atrasar ou adiantar uns dias).

  • Depois de tomar a contracepção de emergência, é preciso usar a camisinha em todas as relações sexuais até a menstruação vir, pois ela não protege para a frente, só da relação sexual que já ocorreu. A menstruação pode adiantar ou atrasar alguns dias da data prevista.

  • Escolha um método contraceptivo para uso regular. Tomar a contracepção de emergência repetidamente desrregula a menstruação e facilita a gravidez.

NA DOSE COMBINADA: a dose combinada só deve ser usada quando não há condições de tomar a dose pronta. A dose combinada (método YUSPE) pode ser feita com as cartelas das seguintes pílulas anticoncepcionais orais (uma das marcas abaixo):

– Pílulas de Baixa Dosagem (Nordete, Microvlar e Levordiol):

– 1ª dose: 4 comprimidos logo que possível

– 2ª dose: 4 comprimidos, 12 horas após a 1ª dose

– Pílulas de Média Dosagem

(Neovlar,  Evanor   e Normamor):

1ª dose: 2 comp. logo que possível

2ª dose: 2 comp. 12 horas após a 1ª dose

 

Vantagens e Desvangens no Uso da Contracepção de Emergência

Vantagens:

Desvantagens:

  • O único método contraceptivo que pode ser utilizado pela mulher após a relação sexual.

  • No caso de falha do método, não causa efeitos colaterais (teratogênicos) no feto.

  • Não é abortiva, previne o aborto

  • Previne a Gravidez Não-Planejada como mais uma opção contraceptiva.

  • Os comprimidos possuem alta concentração de hormônios e só devem ser utilizados em casos de emergência.

  • Em mulheres que amamentam, pode diminuir a quantidade do leite materno.

  • Os comprimidos podem causar efeitos colaterais leves como: náuseas, vômitos, tontura, desconforto nas mamas e dor de cabeça. (Para  minimizar as náuseas tome os comprimidos após comer algum alimento)

  • A menstruação pode adiantar ou atrasar alguns dias.

  • O uso repetido ou freqüente, desregula o ciclo menstrual e facilita a gravidez mais do que os outros métodos.

  • Medicamentos, como barbitúricos e alguns  antibióticos, podem reduzir a eficácia deste método.

  • Não previne contra as DST/Aids.

 

Fonte: REDECE http://redece.org/contracepcao-de-emergencia-a-base-de-acetato-de-ulipristal-ulip-ou-ella-one/

http://redece.org/sobre-a-rede-ce/

Preservativo(s)- Condom ou camisinha

A camisinha (masculina ou feminina) não precisa de prescrição médica e não interfere na amamentação, além de evitar doenças sexualmente transmissíveis.

Pode não ser sua opção definitiva, mas deve ser sua opção provisória enquanto você não define com seu profissional de saúde qual método contraceptivo para o pós-parto.

A camisinha masculina é bem conhecida (ainda que mal utilizada!). Por isso, abordaremos aqui uma outra opção:

Camisinha feminina:

embora menos conhecida e um pouco mais cara que a masculina, é uma opção para a mulher autônoma que domina seu corpo.

Saiba mais: https://helloclue.com/pt/artigos/sexo/preservativos-femininos-versus-preservativos-masculinos

Assista ao vídeo:

Condom Feminino: mais autonomia

Métodos contraceptivos: há vários e para homem também

SUS é métodos contraceptivos
Vasectomia: método definitivo no homem
Justiça Reprodutiva
Translate »